quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

composição dos chumbinhos

A maioria dos chumbinhos para armas de ar majoritariamente são feitos de chumbo mole. Nenhum outro material parece oferecer tão excelente combinação de peso e densidade, trabalhabilidade, engajamento com o raiamento, selamento (do cano), inercia, expansão no impacto e resistência ao ricochete. Pequenas quantidades de antimônio e/ou estanho algumas vezes são misturados no chumbinho de chumbo para aumentar sua dureza.
Chumbinhos mais duros resistem melhor as avarias durante o manuseio e carregamento no cano, mas eles também podem apresentar dificuldade no engajamento ao raiamento, e reduzir a velocidade devido a fricção e vazamento de ar (blow-by) aumentados. A penetração é aumentada mas a expansão é reduzida. Um chumbinho mais duro pode parecer mais efetivo em testes por causa de sua maior penetração, mas em uso no campo ele provavelmente seria menos efetivo que um um chumbo expansivo. 

Uma típica análise em chumbinhos de chumbo:

Padrão britânico No. 602: 1956 II: Chumbo - não menos que 99,25% e não mais que 99,80%; Antimônio - não mais que 0,10%; Zinco - não mais que 0,005%; Cobre - não mais que 0,07%; Estanho - não mais que 0,5%; e outrso elementos não mais que 0,075%. Chumbinhos Beeman/N&N tem 99,9% de chumbo e 0,05% de antimônio.

A adição de antimônio tem três finalidades:

  • Melhorar o processo e estampagem;
  • Proteger os chumbinhos contra avarias no transporte;
  • Aumentar a resistência a corrosão.
Chumbinhos para armas de ar feitos de chumbo aparentemente nunca contem quantidades significantes de arsênico. Arsênico é usado na produção de alguns "lead shots" (esferas de chumbo usadas em cartuchos para espingardas); sua ausência em chumbinhos para armas de ar pode ser de significância em questões legais ou médicas relativas a chumbinhos alojados no corpo de humanos ou outros organismos.
Chumbo metálico evidentemente é muito seguro, sendo um material efetivo para uso como munição em armas de ar. Projéteis de chumbo tem somente uma pequena fração do risco de ricochete do aço, zinco ou outros projéteis duros. 
Não parece razoável que projéteis de armas de ar de chumbo possam ser acusados de ser um problema ambiental. Esferas de chumbo de espingardas "chovem" em um numero verdadeiramente enorme em algumas área aquáticas (lagos, etc). Estas esferas são então expostas à degradação anaeróbica em  produtos secundários possivelmente prejudiciais, e estas esferas alteradas pela degradação são espalhadas de tal maneira que podem ser ingeridas pela vida aquática. Os compostos de chumbo resultantes é que são um problema. A probabilidade de uma situação semelhante ocorrer com chumbinhos para armas de pressão parece quase inconcebível. E, mesmo o significante fato de projéteis de chumbo permanentemente alocados no corpo humano, ou outros organismos, não parecem envolver um significante risco quimico. Balas e chubinhos de chumbo tem sido carregados em várias partes de humanos por décadas sem aparemtemente causar efeitos tóxicos. Mesmo assim, parece que os chumbinhos para armas de ar "sem chumbo " (lead free) seriam uma resposta para um problema que não existe.  Um chumbinho para armas de ar incomum e patenteado, e certos tipos de dardos, consistem de uma bainha de plastico em torno de um núcleo de metal duro. Tem havido grandes problemas na produção e encaixe das bainhas plásticas a estes núcleos de metal de uma forma que mantenha-se a alta acurácia, que é o fator principal e absoluto no uso das armas de ar no campo. O núcleo de metal duro apresentam problemas de ricochete, problemas de excessiva penetração, e a composição dos núcleos e bainhas podem apresentar alguns interessantes aspectos médicos e legais. Isto é, o núcleo pode estar sujeito a um dano corrosivo quando dentro de tecidos humanos e mais, a bainha, pode se separar do núcleo após penetrar o organismo, e então pode não ser detectável por raios-X.
 
Tradução livre do texto original de Robert Beeman

5 comentários:

  1. https://www.facebook.com/tirocertoarmasdepressao
    curta e divulge seu site

    ResponderExcluir
  2. eu engoli acidentalmente uma balinha dessa, pode ser perigoso para mim? estou muito preocupado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se expeliu ou fez um raio x para verificar que não está mais alojado no organismo, tudo bem, não há perigo de intoxicação com sequelas.

      Excluir
  3. Minha dúvida é...
    As ligas de projéteis livres de chumbo, banhados com outros metais ou uso de polímeros, em uso contínuo podem danificar o raiamento da arma ou aumentar a deposição de resíduos no cano diminuindo a vida útil da carabina de pressão ou aumentando a frequência de limpeza? Não encontrei ninguém falando sobre isso.

    ResponderExcluir